História da Massa

As vinte regiões da Itália oferecem um banquete gastronômico incomparável. Os princípios básicos são os mesmos: simplicidade e ingredientes frescos e de qualidade. Cada pedaço da Itália é culturalmente diferente e carrega as marcas dos seus antigos colonizadores e invasores; bárbaros, árabes, cartagineses, etruscos, espanhóis, austríacos.

A PASTA ( do latim PASTA, derivado do grego PÀSTE = farinha misturada com água) , pode ser fresca, com ovos, seca ou recheada. Por muito tempo discutiu-se a origem das massas em geral; quais dos povos a teria inventado: chineses, árabes, italianos??

Uma das origens admitidas seria a árabe, na forma de spaghetti seco, a chamada ITRJIA, que entra na Europa a partir do séc. IX, na Sicília.

Outra teoria atribui a Marco Polo, séc. XIII, a introdução na Europa, através da China. Hoje já se sabe que, na Itália, já existiam registros de spaghettis e maccheronis anteriores a essa data.

Na China existem registros desde 25 a 220 DC. Os árabes teriam sido o veículo de introdução na Europa. Há 7 mil anos quando o homem começa a abandonar a vida nômade e se torna aos poucos agricultor, se cruza com o trigo e outros grãos, dando-se aí os primeiros passos para a origem da PASTA.

Inicialmente eram colhidos todos juntos, de colheita em colheita, geração em geração, foi-se aperfeiçoando, moendo os grãos, e fazendo farinhas, misturando com água e as cozinhando em pedras quentes.

02

Os primeiros a secar as massas foram os beduínos devido as constantes viagens. O mais antigo documento sobre massas secas é o livro de culinária de Ibn’ Al Mibrad, séc. IX, onde se descreve um prato muito popular na Síria e no Líbano, a RISTA.

Durante muito tempo foi um produto muito caro e só a partir do séc. XVII que se torna popular. Nápoles inova e começa a servir o macarrão com molho de tomates aromatizado com manjericão, até hoje servido dessa maneira. O tomate parceiro ideal, chega á Itália, vindo do México, a partir do séc. XVI e começa a ser cultivado e consumido, antes era apenas uma planta ornamental.

Um dos alimentos mais versáteis e importantes, pode ser usado em saladas, molhos, picles; ser conservado, seco; reduzido a polpa ou pasta e até mesmo virar bebida e geléia.Na Itália a primeira aparição na culinária foi registrado em um livro escrito por Vincenzo Corrado (1765), “Cuoco Galante”, (Cozinha Galante ), em que os tomates aparecem em molhos, recheios e frituras.